domingo, 6 de março de 2011

Far away.

A minha vida se resume a fazer e desfazer malas. Eu entrei nesse jogo cedo, logo que atingi a maioridade pra ser mais exato. Acho que todo adolescente tem o sonho impetuoso de ser livre, de não ter rotina, de não obedecer e ser livre por aí, incosequentemente. A maioria deseja levar a vida sem roteiro a se seguir de um pássaro, de boa no céu, alto demais pra ser alcançado; Como se os pássaros não tivessem suas obrigações.

Ontem fiz as malas pela última vez. Pego o navio que deveria me levar para o mais longe possível, mesmo que demorasse anos. Não é uma viagem eficaz pra eu me perder dentro de mim mesmo. Após meses embarcado em meio a tempestades, sol escaldante, frio insuportável, calmarias e sorrisos desconhecidos que me encantam de forma estranha, eu sinto como se tivesse navegado mundo afora e desembarcado na porta de casa. Sinto as pessoas das quais desejei fugir em todos os lugares. Que lugar, se não dentro de nós mesmo, condensa tanto sentimento bom e ruim ao mesmo tempo? A gente sente uma fisgada no peito e faz o drama de uma espada atravessando o coração. A gente sente demais.

O meu coração teima em bater, pedindo pra descansar, mas não há descanso quando se é infeliz. Sinto-me incompleto.

6 comentários:

  1. "A gente sente uma fisgada no peito e faz o drama de uma espada atravessando o coração. A gente sente demais." Concordei assim que li

    ResponderExcluir
  2. Quem mais ta sofrendo de desamor?

    "A gente sente uma fisgada no peito e faz o drama de uma espada atravessando o coração. A gente sente demais." Concordei assim que li [2]

    ResponderExcluir
  3. "A gente sente uma fisgada no peito e faz o drama de uma espada atravessando o coração. A gente sente demais." Concordei assim que li [3]

    kasokaoskapokspa
    Ê Laiá. Tá todo mundo bem por aqui, hein?

    Por mais que você tente melhorar... parece que no fundo você não quer. O ser humano é muito complicado. :/

    ResponderExcluir
  4. Nossa, adorei. O jeito como você escreve é diferente do jeito da maioria dos adolescentes, sem clichês.
    Parabéns, muito bonito o texto.

    ResponderExcluir
  5. "Sinto as pessoas das quais desejei fugir em todos os lugares. Que lugar, se não dentro de nós mesmo, condensa tanto sentimento bom e ruim ao mesmo tempo? A gente sente uma fisgada no peito e faz o drama de uma espada atravessando o coração. A gente sente demais."

    Voce expressou nessas linhas sentimentos que me perseguem há meses. Como sempre, seus textos são muito reflexivos, e mais uma vez.. Parabéns por isso. Muito bom o texto.

    ResponderExcluir
  6. Muito legal seu blog e otimo, e muito criativo, se depois vocês quiser olhar o meu blog e dar a sua opnião eu ficarei muito grato: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

    ResponderExcluir